4 de agosto de 2009

Amigos... Irmãos...

Dia do amigo...
Decidir escrever sobre amizade, mas não consigo explicar o que é amizade, então vou falar sobre minha segunda Família, alguns amigos que conquistei há dois anos, dessa forma espero expressar o que vejo e sinto de uma amizade...
A palavra amigo me remete à algumas pessoas que são parte da minha vida, que sem querer se tornaram meus amigos e amigas, minha segunda Família.
Tudo começou em 2007, quando estava no último ano do ensino médio no Colégio Estadual do Paraná, terceiro ano, me lembrava dos filmes - muitas festas, mulheres e zoações - nesse caso em particular, não foi diferente.
Mas o que isso tem haver com amizade? Tudo! Foi nesse ano que conheci pela primeira vez amizades verdadeiras, translúcidas,amizades sem censuras.
No terceiro “X” minha vida mudaria, várias experiências, histórias, como diz uma música “ ... a nossa história pode virar um filme...”, filme com todos os ingredientes para ganhar um Oscar.
Toda essa história de amizade começou com a escolha de como seria a camisa de terceiro ano da sala, o Bida chegou para o Gusta e propôs uma camisa estilo de futebol (somente para os meninos), aí de apenas uma camisa nós já montamos o maior escrete do Colégio, o Beguessauro Futebol Clube, isso fez a nossa sala se unir, mas não foi o principal.
A turminha do fundo, a qual fazia parte, era muito unida, mas a sala possuia “grupinhos” , no “fundão” nos matávamos de rir das pérolas da sala - como Os bonecos de Holanda - pérolas que participei bastante.
Pelo motivo das “panelinhas” a camisa da sala ainda não havia saído do papel, aliás, nem tinha entrado, mas o Beguessauro já estava uniformizado há muito tempo, tudo bem... Foram muitos impecílios, matar aula para buscar as camisas no Shopping, só foi mais uma das aventuras, dessa vez eu, Kouji e Begue.
Mas um triste acontecimento acabou unindo a nossa sala, mas foi nesse momento que percebi que seríamos amigos para o resto da vida. Um aluno da nossa sala que fazia parte da turma do “fundão” e do Beguessauro acabou falecendo, todos ficaram chocados com o ocorrido, coube a eu, Gusta, Nerd’s, Begue e Kouji, dar a notícia à sala, quer dizer, a não dar, pois não precisamos falar nada. Alegres e sempre fazendo bricadeiras, entramos com as faces desfalecidas na sala e todos perceberam o que havia acontecido somente pelo nosso olhar, o Fuh não estava de corpo presente mais entre nós, mas estava em nossos corações. Foi no velório que eu e os meninos fizemos um pacto... Amizade eterna, pacto que valeu para a sala inteira, assim como o Fuh seria eterno, a amizade e a “família terceiro X” também seria.
Passado isso a turma foi outra, claro que ficámos muito tempo machucados, mas isso é uma ferida que não cicatriza, mas com todos se apoiando seria mais fácil enfrentar às adversidades impostas pelo destino, e foi o que ocorreu.
Mas também teve alegrias e farias “zonas”, como não lembrar do Thunder Begue, ou dos meninos (inclusive eu) vestidos de mulher, ou da paródia do “Qual é a Música?” ? Hilário só de lembrar. E quando eu e os meninos roubamos o extintor de incêndio e deixamos o auditório do Colégio todo cheio de pó, e a galera toda suja... Culpa dos “Embalos de Sábado a Noite”.
E a viagem que fizemos para Paranaguá, fez nos divertirmos como nunca.
Na noite que antecedeu a vigem, os meninos do Beguessauro foram durmir na minha casa, muita pizza assistindo o nem lançado Tropa de Elite, coisas do Zabotta, e ir para a rodoferroviária dentro de um pegeout 206, coitado do Nerd’s que foi no porta-mala. Aliás, o Nerd’s sempre foi o mais zuado...
A viagem foi muito legal, não era para ser diferente já que o vagão era mágico...
Até esquecemos o Begue, Kouji e o Nerd’s em Morretes! E a volta no ônibus subindo a serra... A maior balada!
Mas, como alguém escreveu uma vez na comunidade da sala no Orkut, “Todo carnaval tem o seu fim”, e o nosso não foi diferente, e tinha até data marcada, o baile de formatura. Mas começamos às despedidas antes, na colação de grau.
Muito choro e risadas foi esse o ritmo da nossa colação, com direito a uma cambalhota minha no palco após receber o canudo, e sinalizadores de estádio de futebol dos “tímidos” Gusta e Nerd’s, e o Begue na homenagem aos funcionários foi um espetáculo à parte.
No baile curtimos muito, pensávamos que seria a última vez. Mas não, a última vez que nos vimos e curtimos muito nossa amizade foi no churrasco na minha casa ano passado.
Às vezes sou arrogante e estúpido com alguns amigos, e sei que posso ter falados coisas que essas pessoas da minha segunda família não gostaram, mas esse é o meu jeito errado de ser.
Jeito errado que já custou muito, um exemplo é quando preferi uma amizade que não duraria muito, do que uma “namorada”, a menina que estava ficando comigo ficou com ciúmes de uma ex-amiga minha, com meu jeito “sei tudo”, decidi ficar erradamente ao lado da ex-amiga, nesse caso a amiga não era transparente e pude perceber isso mais tarde, mas tudo que acontece na vida nos deixa ensinamentos, nesse caso perdi o amor da menina que mais gostei na vida, mas ganhei a amizade da mesma, amizade que guardo com imenso carinho.
Mas voltando a “Familía X”... Se ainda somos amigos? A resposta é sim, mas demos um tempo. Cada um foi para um lado, mas sei, que as lembranças e saudades imensas que sinto , são recíprocas.
Se hoje estou aqui escrevendo essa que não é mais uma coluna, mas uma crônica, tenho certeza que eles fazem parte de tudo isso.
Mari, Zabotta, Kouji, Begue, Nerd’s, Gusta, Fuh, Roberta (Robs),Thaís (Tana), Jhô, Ana (Broto), Bida, Ana Paula, Bruno, Gabi’s e todos da “Família X”... São só alguns do eternos amigos que fiz...
Não poderia acabar sem mencionar dois amigos que não fazem parte da “Família X”, mas que estão sempre comigo, o Maykon e o Klisman meus eternos irmãos, em muitas das aventuras do Beguessauro eles estão juntos. O Klisman participa das minhas aventuras desde 1998, o Maykon foi meu parceiro por três anos no vôlei, mas pareceia que nos conhecíamos há uma eternidade, quantas baladas e festas fomos juntos... Como o Baile do Havaí, chegamos às cinco da manhã na minha casa e as sete estávamos acordando para ir para algum jogo de vôlei, não lembro contra quem... Mas sei que perdemos. Bom o Klisman sempre estudou no mesmo Colégio que eu, já o Maykon conheci no Colégio Estadual do Paraná em 2005 mas esses dois juntos com o Begue, Nerd’s, Gusta, Kouji e o meu primo Rafinha são os meus melhores amigos.
A todos esses irmãos, um Feliz dia do Amigo...
“Amigo é coisa pra se guardar do lado esquerdo do peito”... Mas levo todos também nos meus pensamentos.
Colegas existem vários na vida... Mas verdadeiros amigos é difícil encontrar, amizade é como o casamento... Na alegria e na tristeza... Na saúde e na doença... até que a morte os una novamente.
Amizade é um elo, não tem fim.
Se tivesse que definir a essência de uma amizade, definiria como o mais belo sentimento existinte na face da Terra, sentimento que só quem detém uma amizade verdadeira pode saber, sentimento que não existe palavras para descrever é uma sensação única e adorável.
Até um dia... Amigos... Irmãos...

6 comentários:

  1. muito massa cara, histórias inesquecíveis...


    3º X - CEP - 2007
    BEGUESSAURO FUH ETERNO

    ResponderExcluir
  2. Gusta

    poh massaaaa veioo..

    ResponderExcluir
  3. Daani, bacana seu texto. Amizade é algo realmente importante. =]

    passe no mu blog quando tiver tempo.
    beijos,Tamy ;]

    ResponderExcluir